Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Começa a recuperação na rede elétrica das escolas estaduais

Parceria com universidades reduzirá custos e vai acelerar o processo

Publicação:

Estudantes farão vistoria
Estudantes farão vistoria - Foto: Divulgação
Por Ana Rosa/Seduc

Uma parceria realizada por meio de Termo de Cooperação do Governo do Estado com oito Universidades gaúchas, firmada em fevereiro de 2018, começa a trazer resultados, possibilitando a elaboração de projetos de reforma elétrica em 911 estabelecimentos de ensino da rede estadual.


A meta é desenvolver projetos, inicialmente, em 200 escolas já selecionadas em todo o Rio Grande do Sul, com a participação de 70 estagiários. O repasse inicial será de R$ 40 milhões, com prioridade para os casos emergenciais. E um investimento de R$ 200 milhões em quatro anos. A verba é de um empréstimo junto ao Banco Internacional (Bird), além de contrapartida do Governo do Estado.


Segundo o secretário estadual da Educação, Ronald Krummenauer, a iniciativa de modernizar a rede elétrica das escolas é uma reivindicação antiga e também atende a um pedido trazido pela conversa que manteve com todos os gestores escolares do Estado, o Bate-Papo com os Diretores, em março e abril desde ano.


A ação promoveu uma conversa do secretário com cada um dos mais de 2,5 mil diretores de escola. “Em todos os encontros, a questão da rede elétrica das instituições foi tema recorrente. A parceria com as universidades vai agilizar a elaboração dos projetos, um dos gargalos existentes para resolvermos estes problemas”, afirmou Krummenauer.

Serra
Na serra gaúcha, o convênio com a Universidade de Caxias do Sul estabelece que 10 alunos do 8º ao 10º semestres de engenharias Civil e Elétrica recebam bolsas de estágio. Na região, os projetos são em 33 escolas e no prédio da 4ª Coordenadoria Regional de Educação e estão sob supervisão de professores dos cursos e do engenheiro eletricista responsável da Secretaria de Obras do Estado.
O cronograma de ação começou nesta semana, com visita à escola Irmão Guerini, no bairro Ana Rech, seguida da visita à escola José Generosi e ao Colégio Henrique Emílio Meyer, todos em Caxias do Sul.

A sede da 4ª CRE, também na cidade, já foi vistoriada pelo engenheiro e pelos estagiários.
“Trata-se de uma iniciativa importante, temos que nos aliar na busca de soluções. Para nossa região, será um salto no tempo, pois sem a parceria seriam necessários muitos anos para realização dessa tarefa”, destacou a coordenadora da 4ª CRE, Janice Moraes.


Pelo contrato, os alunos vão às escolas e verificam a rede. Analisam itens como central de distribuição, fiação e iluminação. Após levantamento, começa a fase de elaboração do projeto - no caso de Caxias do Sul, será na UCS, e, posteriormente, os documentos serão encaminhados à 4ª Coordenadoria Regional de Obras para análise orçamentária e licitação. O prazo de conclusão das obras varia de acordo com o estado da rede da escola, mas a previsão é de que não ultrapasse seis meses.

Prazos
Em Santa Maria, na 8ª Coordenadoria Regional de Educação, as visitas a escolas já foram realizadas. A Coordenadoria Regional de Obras Públicas (Crop) conta com quatro estagiários e, até o final de maio, contratará, através do convênio com a Universidade Federal de Santa Maria, outros seis para os projetos. Pelo menos cinco obras já foram vistoriadas estão com os dados apurados. “A previsão é de que a gente conclua alguns projetos até junho”, informou o coordenador regional da Crop, Maurício Oberto.

Nestas semana, as Coordenadorias  Regionais de Obras Públicas terão uma formação promovida pela Secretaria de Obras Públicas para que os técnicos saibam todos os detalhes da parceria com as universidades. Mas os trabalhos iniciais já estão sendo feitos. A 27ª Crop solicitou dados de três escolas de Caçapava do Sul, região da 13ª CRE: EEEF Eliana Bassi de Mello, EEEM Gladi Machado Garcia e Escola Técnica Estadual Dr. Rubens da Rosa Guedes. E também da Escola Estadual Cândida Fortes Brandão, de Cachoeira do Sul, que pertence à 24ª CRE. Todas fazem parte da primeira lista a ser reformada. 

Veja as universidades que estão participando:

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Pontifícia Universidade Católica do RS (PUC)
Universidade de Caxias do Sul (UCS)
Universidade de Passo Fundo (UPF)
Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI)
Universidade Federal do Pampa (Unipampa)
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Riograndense (IFSul/Pelotas)
Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)

Secretaria da Educação