Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Jergs terão nova fórmula para se adaptarem aos Jogos Escolares da Juventude

Competições estadual e nacional passarão por mudanças este ano

Publicação:

Jergs envolvem atletas de todo o Rio Grande do Sul
Jergs envolvem atletas de todo o Rio Grande do Sul - Foto: Rodrigo Rodrigues/Divulgação
Por Renato Gava

Os Jogos Escolares do Rio Grande do Sul (Jergs),  competição organizada pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e que movimenta 140 mil alunos de 438 municípios (são mais de 2,2 mil escolas públicas) passarão por mudanças em 2018 para se adaptarem aos Jogos Escolares da Juventude, a competição nacional dos estudantes-atletas, que também vão estrear nova fórmula.

A troca mais significativa refere-se à subdivisão da competição nacional, que passa a ter uma fase regional: os 27 Estados foram divididos em três grupos de nove, no qual apenas os dois primeiros avançam para a final (eles vão se juntar a outros seis concorrentes, pré-definidos). Essa fase final passará a ter divisão única (eram três) e reunirá apenas 12 participantes – até 2017, os 27 Estados ingressavam direto nesta fase final.

“Em termos de conquista de medalhas nacionais, em princípio parece que ficou mais complicado para nós, pois nosso grupo da fase Regional é muito forte. Ao mesmo tempo, como São Paulo, Minas, Rio ganharam boa parte das competições, não participarão da fase Regional, o que nos beneficia e deixa mais perto de vencer essa fase e passar à final”, analisa a assessora do Departamento de Esporte Educacional da Secretaria de Estado da Educação, Danusa Zanella.

Outra mudança prevista para os Jergs diz respeito às datas. As modalidades individuais, como o atletismo, ganharam mais prazo – antes, o Estado precisava definir até o início de agosto os representantes da categoria infantil (12 a 14 anos), que disputavam os Jogos Escolares da Juventude em setembro. Em 2018, a final ocorre em novembro, o que dá mais tempo de preparação.

Fórmula
Ainda no caso de um dos quatro esportes coletivos (basquete, futsal, handebol e vôlei, todos no masculino e no feminino), a fórmula classificatória também será diferente em 2018. Mesmo as escolas que ficaram na terceira posição em cada modalidade ainda terão chances de representar o Estado na competição nacional – até então, só o vencedor poderia disputar a seletiva, contra o vencedor das escolas particulares (Cergs).

Os Jergs começam a disputa já no mês de março. Já os Jogos da Juventude, este ano, estão marcados para novembro nas duas categorias. No quadro abaixo, confira mais detalhes das duas competições.

Sobre o Jergs

Como funcionava até 2017

O campeão de cada modalidade disputava com o campeão do Cergs (competição que reúne as escolas particulares) uma vaga para os Jogos da Juventude, que reúne estudantes de todo o Brasil em uma final da qual participam mais de 3 mil estudantes

Como  será a partir deste ano

Campeões, segundo e terceiros colocados de cada modalidade nas escolas públicas farão uma pré-seletiva – se enfrentam entre si. O vencedor então disputará, semanas depois, com o ganhador dos Cergs, a vaga para os Jogos da Juventude do mesmo ano.

O porquê da mudança

No Rio Grande do Sul, a escola campeã dos Jergs se qualifica para, apenas no ano seguinte, disputar os Jogos da Juventude. Com isso, muitas vezes, os atletas que ganharam a vaga não estão mais na equipe – superaram a idade ou trocaram de colégio antes de a competição nacional ter início. “Isso fazia com que a equipe representante das escolas públicas nem sempre espelhasse o que há de melhor no Estado na modalidade. A nova fórmula permitirá que quem estiver melhor, pouco dos Jogos da Juventude, dispute a com petição nacional”, resume a assessora do Esporte Educacional da Seduc, Danusa Zanella.

Sobre os Jogos da Juventude

Como foi até agora

Como passará a ser

Datas A categoria infantil (12 a 14 anos) era disputada no mês de setembro em uma cidade, e a juvenil (15 a 17 anos, em outra, no mês de novembro. A etapa nacional (fase final) ocorrerá em uma única cidade, que organizará os Jogos para as duas faixas etárias em novembro. O mesmo vale para a Regional, que ocorrerá em setembro, em sede a ser definida.
Disputa

Cada Estado classificava um representante direto para a fase final. No caso dos esportes coletivos, havia divisões – na teoria, os melhores permaneciam na primeira divisão, porém, como a troca de escolas é anual, na prática isso nem sempre ocorria. Equipes da terceira divisão, em alguns anos, apresentavam nível técnico acima da primeira divisão.

As modalidades coletivas precisarão passar por etapas regionais em busca da classificação para a final. Os 27 Estados foram divididos em três grupos de nove. O RS está na chave mais forte e, nos esportes coletivos, vai duelar na regional com SC, PR, SP, RJ, MG, ES, GO e MS.

O que são os Jergs? A competição reúne as escolas públicas (estaduais e municipais) do Rio Grande do Sul. É disputada, de março a novembro, nas modalidades atletismo, basquete, futsal, handebol, tênis de mesa, vôlei e xadrez. Ao todo, a competição reúne 140 mil atletas de 438 municípios, das categorias infantil (12 a 14 anos) e juvenil (15 a 17 anos), em suas quatro fases: Municipal, de Coordenadoria, Regional e Final Estadual.
O que são os Jogos Escolares da Juventude?

O evento contempla mais de 2 milhões de alunos/atletas de 40 mil escolas de 3.950 cidades. A fase nacional, organizada pelo COB, até 2017 reunia em cada faixa etária cerca de 4 mil participantes dos 26 estados e do Distrito Federal – a partir de 2018, a fase final terá delegações bem menores. A competição já revelou vários atletas, como a gaúcha Mayra Aguiar, campeã mundial e medalhista olímpica no judô. A competição tem todas as modalidades dos Jergs e, ainda, badminton, ciclismo, ginástica rítmica, judô, luta olímpica, natação e vôlei de praia

Secretaria da Educação