Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Seminário aborda o Referencial Curricular Gaúcho

Encontro ocorreu na tarde desta quinta-feira (12)

Publicação:

Cerimônia para de apresentação do Referencial Curricular Gaúcho ocorreu durante seminário no Ministério Público Estadual
Cerimônia de apresentação do Referencial Curricular Gaúcho ocorreu durante seminário no Ministério Público Estadual - Foto: Diego da Costa
Por Diego da Costa

Com o objetivo de criar uma base comum curricular integrada entre as redes municipal, estadual e privada, a Secretaria da Educação (Seduc), a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), e o Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe-RS), na tarde desta quinta-feira (12),  lançaram o “Referencial Curricular Gaúcho”. A cerimônia oficial, que ocorreu durante o 1º Seminário Estadual da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC), no Auditório do Ministério Público Estadual, deu início a um ciclo de debates e audiências públicas que irão definir os principais assuntos a serem trabalhados no novo currículo. A implantação irá ocorrer a partir de 2019.

De acordo com o secretário Estadual de Educação, Ronald Krummenauer, a sociedade se transformou muito nos últimos anos. Para ele, as escolas precisam oferecer uma educação compatível com o que o mundo de hoje exige. “Além de valorizar o conhecimento, é necessário que o aprendizado esteja conectado com o que o país exige para o futuro. É preciso entender as necessidades dos alunos e oferecer as ferramentas necessárias para a profissão que eles almejam”, destaca.

Para o presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação do Rio Grande do Sul (Undime/RS), André Lemes, o desenvolvimento de ações conjuntas irá elevar o nível educacional do Rio Grande do Sul. “Está nas nossas mãos o poder de conduzir de forma positiva todo este processo. A nova BNCC e o Referencia Curricular Gaúcho, sem dúvida, irão qualificar o nosso ensino”, enaltece.

Conforme o presidente do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe-RS), Bruno Eizerik, a diferenciação entre a rede privada e a rede pública não é mais aceitável. De acordo com ele, um currículo deve ser construído por todos os setores da educação do Estado. “ Temos que ter a ousadia de percorrer novos caminhos e a escola privada está à disposição para trabalhar por este grandioso projeto”, afirma.

A representante do Ministério da Educação (MEC), Carolina Tomaz Barbosa, ressalta a importância da base curricular estar mais próxima das pessoas. “O Rio Grande do Sul tem uma característica própria. A construção de um referencial curricular próprio, dá uma identidade ainda maior para a educação do Estado”, analisa.

Referencial curricular

O governo do Estado irá publicar uma portaria para constituir uma comissão de 22 professores representando da rede pública debater o novo currículo. Posteriormente, será criada uma plataforma digital para que professores das redes públicas e das escolas privadas possam contribuir com o novo currículo. As consultas públicas estão previstas para ocorrer até o final do mês de junho.

Ainda estiveram presentes no evento as seguintes autoridades:  a secretária-adjunta de Educação, Iara Wortmann; a diretora do Departamento Pedagógico da Seduc, Sônia Rosa; a representante da Comissão Estadual de Mobilização para Implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), Danielle Bolzan; o secretário Municipal de Educação de Porto Alegre, Adriano de Britto; a coordenadora estadual de currículo da Undime/RS, Marléa Ramos; a especialista do Movimento pela Base, Cleusa Repulho; o representante da MSTech, Celso Nishiioka, além dos coordenadores regionais de Educação e representantes de secretarias municipais de Educação, universidades, ACPMs e Uncme/RS.

Secretaria da Educação