Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Escola José Luchese é premiada com o Selo de Energia Solar

Colégio de Lagoa Bonita utiliza equipamento obtido por meio do Programa Escola Melhor: Sociedade Melhor

Publicação:

Foram instalados 25 painéis solares de 315 Watts cada um, com capacidade de geração média de 945 KW por mês
Foram instalados 25 painéis solares de 315 Watts cada um, com capacidade de geração média de 945 KW por mês - Foto: Escola José Luchese/ Divulgação Seduc
Por Diego da Costa

A Escola Estadual de Ensino Médio José Luchese, de Lagoa Bonita do Sul, no Vale do Rio Pardo, foi reconhecida com o Selo de Energia Solar, concedido pelo Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas para a América Latina (Ideal), em parceria com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, que conta com o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) e do Banco Alemão de Desenvolvimento (KfW).

Há um ano, a escola foi beneficiada com um equipamento de energia fotovoltaica – energia elétrica produzida a partir de luz solar, mesmo em dias nublados ou chuvosos. Foram instalados 25 painéis solares de 315 Watts cada um, com capacidade de geração média de 945 KW por mês, o que representa 80% da necessidade mensal da instituição de ensino. A aquisição foi possível graças ao Programa Escola Melhor: Sociedade Melhor, com adesão da empresa JTI - Indústria Fumageira, por meio do Programa Alcançando a Redução do Trabalho Infantil pelo suporte à Educação (ARISE).

O propósito do Selo Solar é reconhecer empresas, residências e instituições públicas e privadas que investem em energia sustentável. Quem tem a certificação mostra que aposta em fontes renováveis e de baixo impacto para o meio ambiente, além de ajudar a promover essa causa. O processo para ganhar a certificação é simples. A edificação precisa consumir um valor mínimo anual de eletricidade solar, que varia conforme a quantidade total de energia consumida, ou utilizar ao menos 50% de seu consumo de eletricidade vindo de fonte solar.

De acordo com o diretor de Assuntos Corporativos e Comunicação da JTI, Flávio Goulart, o sistema fotovoltaico implantado na escola integra uma das oficinas do Programa ARISE, desenvolvido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), pela ONG Winrock Internacional (WI) e pela JTI, visando contribuir para a erradicação do trabalho infantil na região. “Sabemos que nas cidades do Interior é comum os estudantes abandonarem os estudos e começarem a trabalhar. Estamos trabalhando para a melhoria do meio rural, do aumento do tempo de estudo e a diminuição do trabalho infantil”, explica.

A diretora da Escola José Luchese, Maria Mafalda, afirma que a iniciativa executada na escola serve como modelo de gestão sustentável. “Ficamos muito felizes com esta certificação, que só reafirma o trabalho que vem sendo desenvolvido. Esta experiência com a energia solar serviu de exemplo para outras escolas e municípios, que puderam entender que é possível implantar medidas de economia aliadas a meios sustentáveis”, afirma.

 

Como a escola pode participar do Programa Escola Melhor, Sociedade Melhor?

A direção deve apresentar a ideia aos professores, pais e alunos, por meio do Conselho Escolar. Aprovada a proposta, a direção deve preencher o Termo de Adesão. Por fim, basta acessar o sistema ISE (na aba Escola Melhor) e manifestar interesse em participar do Programa, clicando na opção SIM. Após esse procedimento, a escola deverá inserir o Termo de Adesão e o Plano de Necessidades nos espaços indicados.

Mais informações: (51) 3288-4806 ou pelo link Escola Melhor.

Secretaria da Educação